Práticas e critérios

O desenvolvimento de critérios de sustentabilidade visa dar referência para empresas e governos as atividades econômicas seguirem o caminho da sustentabilidade, seja nas etapas de obtenção de matéria prima, produção, comercialização de mercadorias, prestação de serviços ou descarte de resíduos.

 

ISO 26000

A mais recente iniciativa do GVces nesse contexto é a organização do Grupo de Trabalho sobre a ISO 26000, primeira norma internacional de responsabilidade social. Para oferecer subsídios às empresas que buscam aplicar a norma no Brasil, o GVces realizou em 2010 um seminário (vídeo no box à direita) e a 1ª edição do Grupo de Trabalho sobre a ISO 26000, com participação do consultor Aron Belinky (GAO). Em 2011, foi lançada a publicação Contribuições do 1º Grupo de Trabalho do GVces sobre a ISO 26000, durante seminário realizado na FGV em abril. No mês seguinte, também foi realizado o 2º GT ISO 26000. 

 

Iniciativas em consumo

Outras iniciativas envolveram a participação do GVces no comitê de desenvolvimento de critérios a ser atendidos pelos produtos de higiene pessoal que buscam o rótulo "ecológico" da ABNT, e nas reuniões mensais da Comissão de Assuntos Técnicos Florestais do Estado de São Paulo, através do projeto Rede Amigos da AmazôniaO objetivo desta iniciativa era aprimorar o sistema do CADMADEIRA - o cadastro dos comerciantes de madeira - e desenvolver critérios para a concessão do selo Madeira é Legal para depósitos ingressantes nesse cadastro. 


Levantamento e divulgação de informações sobre trabalho análogo ao escravo

No ano de 2009, o Fórum Latino Americano de Finanças Sustentáveis, coordenado pelo GVces, deu atenção especial à questão do trabalho análogo ao escravo. Para ajudar a conscientizar empresas sobre a eventual utilização de mão-de-obra nessas condições ao longo de sua cadeia de valor, o LASFF promoveu uma ação de informação para empresas em parceria com a organização não-governamental Repórter Brasil e realizou um levantamento sobre medidas tomadas para evitar esse tipo de situação. Saiba mais

 

Dimensão ambiental da BVSA

A primeira iniciativa do GVces para o desenvolvimento de critérios ambientais teve como foco a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Uma das instituições econômico-financeiras de maior destaque na sociedade brasileira, a Bovespa tem promovido nos últimos anos ações na área de sustentabilidade.  Em 2007, um de seus projetos, a Bolsa de Valores Sociais, ampliou seu alcance, incluindo em seu portfólio projetos na área ambiental, e passou a se chamar Bolsa de Valores Sociais e Ambientais (BVSA).  O GVces foi convidado a participar da estruturação da dimensão ambiental da nova BVSA.

A atuação do GVces envolveu o desenvolvimento de critérios para a seleção dos projetos ambientais, bem como a determinação das áreas temáticas que devem receber apoio da BVSA.  Após diversos encontros com a equipe e dirigentes da iniciativa dentro da Bovespa, bem como levantamento do estado da arte da literatura sobre o tema, e a realização de workshops e entrevistas, foi definido pela Bovespa que a BVSA passaria a apoiar projetos nas seguintes áreas temáticas: educação para sustentabilidade, mudanças climáticas, recursos hídricos, cidades sustentáveis e biodiversidade e florestas. 

A iniciativa consiste numa grande vitrine de projetos, em que doadores podem "comprar" ações, num ambiente que simula operações de mercado, visando, porém, apoiar iniciativas socioambientais.  Grandes empresas têm "comprado ações" socioambientais da BVSA, cujos investimentos são posteriormente transferidos e investidos nos projetos escolhidos. Saiba mais

Compartilhar:


Mais Lidos | Recomendados

Veja Mais


Multimídia

ISO 26000 - Responsabilidade Social