Biblioteca Virtual

Diagnóstico Preliminar das Principais Informações sobre Projeções Climáticas e Socioeconômicas, Impactos e Vulnerabilidades Disponíveis em Trabalhos e Projetos dos Atores Mapeados

GVces

A grande constatação do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), em seu quinto relatório que começou a ser lançado em setembro de 2013 pelas Nações Unidas, é de que o homem, com 95% de certeza, tem responsabilidade sobre o aquecimento global, que é natural, mas está se acelerando por ação antrópica. As análises do relatório apontam que desde 1850 (início da era industrial) o aquecimento foi de, aproximadamente, 0,9oC, sendo que mais de 66% desse aquecimento aconteceu nos últimos 60 anos. Na prática, esse aumento de quase 1oC provoca sérios impactos diretos em diversos setores como biodiversidade, agricultura, recursos hídricos e zonas costeiras; e impactos indiretos em outros como cidades, energia, indústria e infraestrutura, transportes e saúde.

Sob a perspectiva de contribuir para a agenda de adaptação no País, em especial a elaboração do Plano Nacional de Adaptação, o principal objetivo deste documento foi diagnosticar, compilar e sistematizar as principais informações disponíveis em trabalhos dos principais atores no tema adaptação às mudanças do clima no Brasil. Este documento é parte de um mapeamento maior que engloba uma análise de planos governamentais utilizando os mesmos recortes temáticos/setoriais sob a ótica da adaptação à mudança do clima. Assim, esses levantamentos contribuirão para uma melhor compreensão das informações geradas no país visando apoiar o planejamento de governo no tema Adaptação.

A partir do mapeamento dos atores foram identificados e sistematizados os principais trabalhos e iniciativas dos mesmos1. Os trabalhos englobaram, principalmente, artigos acadêmicos, teses, projetos ou iniciativas e relatórios. Também foram utilizadas informações de sites institucionais desses atores. Assim, a base de dados para a elaboração deste relatório incluiu pesquisas acadêmicas e aplicadas, iniciativas de implementação e proposição de medidas adaptativas, entre outros.

O presente documento procurou retratar as principais informações disponíveis em diferentes setores da economia do País, seguindo os recortes temáticos e setoriais propostos pelo Grupo de Trabalho Adaptação2 em junho de 2013, sendo eles: Agropecuária e Segurança Alimentar, Água, Biodiversidade, Cidades, Desastres Naturais, Energia, Indústria, Saúde, Transportes e Zonas Costeiras. Além disso, também foram apresentadas informações acerca de projeções climáticas e socioeconômicas no País e uma breve seção inicial referente às abordagens sobre vulnerabilidade, apontando aos tomadores de decisões a importância de reconhecer a sua diversidade.

Acesso à publicação